Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




É a Hora!

por Sakura, em 02.01.07
Um coincidir de situações levaram a que eu escrevesse este post.
Estive a ler a crónica de Daniel Sampaio, «Carta-aberta à geração dos meus filhos», publicada inicialmente a 22 de Outubro de 2006 no jornal A Capital, sobre a necessidade de um segundo 25 de Abril, de uma revolução sem-sangue que tire o país deste descambar sem fim à vista; quis o destino também que, a propósito do meu anterior post, relembrasse o último poema da Mensagem de Fernando Pessoa: Nevoeiro. A ser aplicado ao actual estado do nosso Portugal, estes versos adequam-se na perfeição.

«Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
Define com perfil e ser
Este fulgor baço da terra
Que é Portugal a entristecer -
Brilho sem luz e sem arder,
Como o que o fogo fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quer.
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugalm hoje és nevoeiro...

É a Hora!»

As palavras tornam-se vazias após lermos este poema. Como pode Pessoa quase um século antes dos nossos dias escrever palavras tão acertadas, tão verdadeiras, tão mortalmente reais!?
Por mais que custe a admitir, a realidade é esta: Portugal está a entristecer, é «brilho sem luz», «incerto», «derradeiro» e «disperso». Nós não passamos de nevoeiro, sombras que apenas passam, levantando poeira (leia-se, atirando poeira para os olhos de quem quer, finjindo que nos preocupamos, que queremos mudar, que somos lutadores e estamos descontentes). Podemos reinvindicar, protestar, apontar o dedo aos governos, às autoridades, à comunicação social, fazer greves (tão em voga ultimamente), mas a verdade é que, lá no fundo, o problema está em nós, portugueses, em nós Nação. Chegámos ao extremo de não «saber que coisa se quer», «que alma se tem»; já nem sabemos «o que é mal nem o que é bem».
Devo dizer que chego a ficar assustada ao ver que nos estamos a afundar, ao aperceber-me que pessoas como o Daniel Sampaio têm razão ao escrever que «falharemos no construir de uma sociedade melhor para os nossos filhos». Temos de mudar e acredito que o conseguiremos: tudo se baseia em força de vontade - querer é poder! Só espero que quando nos resolvermos a agir ainda possamos mudar o rumo das coisas sem sofrimento, violência e "sangue".
Como Pessoa tanto gostava de dizer: É a hora! (só falta o D. Sebastião a guiar-nos...)

Autoria e outros dados (tags, etc)



Quem é a Sakura?

O meu nome é Raquel Lemos. Sakura significa “Flor de Cerejeira” em japonês; escolhi-o pela sua sonoridade e pela beleza das flores de cerejeira. A ideia de criar um blogue nasceu da pergunta «E porque não?»; admito que não venho aqui muitas vezes para escrever... o Blackberry Pancakes funciona mais como uma terapia: pequenas ideias que vou deixando (que se não revolucionam o planeta, ao menos revolucionam o meu mundo!) Obrigada a todos!


Facebook


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D