Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Agora a infidelidade é um negócio?

por Sakura, em 24.07.13
Ontem, enquanto percorria as notícias diárias, deparei-me com este título: "O negócio da infidelidade é à prova de recessão e cresce neste contexto". O que mais me saltou à vista foi a expressão "o negócio da infidelidade". Espera aí! Há quem procure obter "rios de dinheiro" - perto de 100 milhões de dólares (75,7 milhões de euros) - explorando o quebrar do respeito entre duas pessoas? Ou melhor, aproveitando-se do desejo de secretismo que geralmente acompanha a infidelidade, para lucrar com isso?

Para mim, a infidelidade e a traição são das atitudes mais moralmente reprováveis. Cada um é livre de viver a sua vida e longe de mim tentar ensinar alguém como a viver. Mas, quando nos casamos ou mesmo namoramos, criamos um laço de respeito, companheirismo e lealdade com aquela pessoa. Tomamos a decisão de nos unirmos a alguém; de passar do nível da amizade para "algo mais". Isso significa que temos um sentimento maior, mais especial, por aquela pessoa, certo? E depois vamos - (tentando que seja) sem ninguém saber - encontrar com outras pessoas? Procurar "alguma coisa fora quando sentem que já não há paixão no casamento" - citando o criador do site Ashley Madison, que promove o contacto entre pessoas que procuram uma relação extraconjugal.

Creio que é um desejo natural da maioria dos seres humanos encontrar a metade da laranja. Sentimos que a encontramos, boa! E depois nem sequer respeitamos a nossa decisão, aquele vínculo criado, e toca de procurar outras metades.

Estou ciente que existem casos muito complexos, mas se já não há paixão, se já não há amor, porquê enganar o marido/esposa? Porquê desrespeitar o outro? Sei que custa e é doloroso, mas porque não ter uma conversa franca?

Várias frases me fizeram abanar a cabeça, enquanto lia a notícia.

"Muitos casos de traição acontecem por motivos económicos. As pessoas tendem a preocupar-se com o pagamento do empréstimo da casa, a educação dos filhos e é quando perdem o emprego que mais precisam do apoio da mulher ou do marido. Em muitos casos, isso não sucede e, por isso, procuram conforto de outras formas.". 
Agora a crise é desculpa para tudo? 
- Ai, querido(a), desculpa, dei uma facadinha no casamento, mas foi por causa da crise!
- Ah! Se foi por causa da crise, então, estás desculpado(a)!

"Há dois tipos de infidelidade: a que é detectada, com todas as consequências (como a de Bill Clinton ou Tiger Woods), e a escondida, a realidade para a larga maioria dos homens e mulheres que usam os meus serviços. Nunca serão descobertos e isso vai permitir-lhes manter o casamento." 
Nunca serão descobertos, mentem e vivem anos numa relação baseada em falsidade. Seja relação amorosa ou não, creio que ninguém aprova que o relacionamento com outra pessoa esteja envolto em mentira.

Este site parece-me uma promoção à infidelidade. "Venham, venham! Que não vai haver consequências!".

Espero nunca viver isto na pele, mas a infidelidade é algo que não consigo aceitar. Para mim, o respeito é um dos pilares-base de qualquer interacção humana.



Podem ler a notícia integral aqui: http://www.publico.pt/portugal/jornal/o-negocio-da-infidelidade-e-a-prova-de-recessao-e-cresce-neste-contexto-26860398.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Quem é a Sakura?

O meu nome é Raquel Lemos. Sakura significa “Flor de Cerejeira” em japonês; escolhi-o pela sua sonoridade e pela beleza das flores de cerejeira. A ideia de criar um blogue nasceu da pergunta «E porque não?»; admito que não venho aqui muitas vezes para escrever... o Blackberry Pancakes funciona mais como uma terapia: pequenas ideias que vou deixando (que se não revolucionam o planeta, ao menos revolucionam o meu mundo!) Obrigada a todos!


Facebook


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D